Tucunarés

Os tucunarés pertencem a família Cichlidae, que compreende uma das famílias de peixes que apresenta uma das maiores riquezas de espécies entre os peixes teleósteos de água doce.

Os tucunarés são perfeitamente diferenciados de outros Ciclídeos Sul-Americanos. Além do maior porte, as características mais populares e prontamente reconhecidas são a mancha ocelar e a presença de faixas transversais ao longo do corpo, na grande maioria das espécies.

De acordo com o estudo – A review of the South American cichlid genus Cichla, with descriptions of nine new species (Teleostei: Cichlidae) – Kullander e Efrem 2006 os autores reconhecem a existência de, pelo menos, 15 (quinze) distintas espécies de tucunarés.

As quinze espécies de tucunarés estão distribuídas naturalmente na América do Sul, com maior concentração no Brasil. Somente uma destas espécies, Cichla intermedia, habita as drenagens da bacia do Orinoco, fora do Brasil.

Cichla Temesis

Tucunaré Açu

Conhecido como tucunaré açu e paca no Brasil, atinge o maior tamanho e peso dentre todas as espécies de tucunarés. Apresenta dois padrões de coloração bem distintos. O padrão de coloração característico de “açu”, como é conhecido no Brasil ou cinchado na Venezuela e Colômbia – apresenta três faixas transversais bem marcantes e de largura significativa, podendo em alguns casos apresentar quatro faixas, ventre esbranquiçado e corpo amarelo esverdeado nos flancos com o dorso escuro. Já o padrão de coloração reconhecido como “paca” no Brasil e, “pinta lapas” conhecido na Venezuela como – apresenta manchas brancas em forma de pontos distribuídos em linhas longitudinais ao corpo. Este padrão de coloração é encontrado nos peixes jovens e sub adultos, mas também em exemplares adultos no período de água alta ou fora da época de reprodução. Apresentam íris avermelhada.

Habita as regiões de águas negras compreendendo as drenagens dos rios Negro e Branco no Brasil. É encontrado naturalmente nas drenagens da bacia hidrográfica do Orinoco na Venezuela e Colômbia. Podem alcançar mais de 14 quilos, porém animais acima de 6 quilos são tidos como peixes grandes.

Destinos com Tucunaré açu

Barco Kalua
Barco Zaltana

Cichla Monoculus

Tucunaré monoculus

Conhecido no Brasil como tucunaré-comum, popoca, tauá, amarelinho, pitanga, de modo geral é conhecido como pavon, pavon amarillo nos países de língua espanhola da América do Sul. Esta espécie está distribuída em praticamente todas as bacias hidrográficas da Amazônia. É a espécie que apresenta maior distribuição geográfica natural na Amazônia.

Possui coloração amarelada nos flancos, com dorso escuro podendo apresentar tonalidades esverdeadas. Marcado por barras escuras transversas, que podem estar abreviadas ou se estender pouco mais a baixo que a linha da nadadeira peitoral. A qual recebe pequenas manchas escuras dispostas na base da nadadeira peitoral. Esta espécie dificilmente alcança peso acima de 4 quilos, peixes com peso maior de 1,5 quilos são considerados grandes para esta espécie.

Destinos com Tucunaré monoculus

Barco Kalua
Barco Zaltana
Ecolodge da Barra

Cichla orinocensis

Tucunaré Borboleta

No Brasil é conhecido como tucunaré borboleta, na Venezuela e Colômbia é conhecido como pavón mariposa, pavón de três estrelas. São facilmente identificados por apresentar três máculas ou manchas grandes na lateral.

Apresenta ocorrência natural nas bacias hidrográficas do rio Negro, rio Branco no Brasil, e nas drenagens da bacia do rio Orinoco na Venezuela e Colômbia. Podem atingir pouco mais de 5 quilos, contudo, peixes com peso acima de 2 quilos são considerados grandes para a espécie.

Destinos com Tucunaré Borboleta

Barco Kalua
Barco Zaltana

Cichla pinima

Tucunaré pinima

Espécie conhecida popularmente de tucunaré açu ou paca, devido seu porte. Apresenta coloração amarelo dourado nos flancos e tons acinzentados ou marrom escuro no dorso, abdômen branco, barbatana dorsal com reflexos azuis.

Apresenta padrão de coloração paca quando juvenil, quando adulto, três faixas transversais são bem evidentes, podendo ter manchas escuras aparentes. O opérculo e pre-opérculo apresentam manchas oceladas, porém em pouca quantidade. Em adultos é comum a presença de uma macha ocelada arredondada escura com os bordos claros, bem marcada na primeira faixa transversal, íris amarelada.

Habita preferencialmente os lagos, concentra-se em estruturas como pedrais e galhadas, assim como desembocaduras dos lagos e pontas de praias com águas rasas.

A espécie pode chegar a mais de 12 quilos, contudo peixes acima de 4 quilos são considerados grandes para a espécie..

Destino com Tucunaré pinima

Ecolodge da Barra

Galeria de peixes